<bgsound loop="true" src="http://www.veterinariosnodiva.com.br/music/Enya-Celtic-r.mp3"></bgsound>

Animais e a alopatia no divã...

Na página anterior, vimos como os animais comprovadamente são capazes de sentir e somatizar suas emoções.

Entendemos, embora ainda superficialmente, uma vez que pouco a pouco iremos aprimorar cada assunto, que a homeopatia compreende todas estas áreas em sua análise diagnóstica, ou seja, o físico, a emoção, o meio ao qual o animal está inserido, no caso da área veterinária. Ou seja, em outras palavras, de certa forma ela deu um "up grade" na interpretação das doenças, ao contrário da alopatia que ainda tem seu foco na doença e não na causa...

Mas... juntamente com estas questões, outras se fizeram questionar:

Se os animais somatizam, então como fazer, no caso da alopatia? 

Como ficam os alopatas? 

Teriam todos que se especializar em homeopatia para compreender estes aspectos? 

Obviamente que não...

Somos seres únicos, cada um com sua personalidade e isso faz este universo tão especial.

A diversidade é uma qualidade benéfica, pois através dela se apresentam prismas diferentes sobre a vida. 

Assim, questionamentos, reedições, criações, recriações, filosofias, estilos, descobertas, ciência são estudados e transmitidos através dos tempos. 

Diversas áreas de atuação, compreensão e tratamento das formas de vida, se apresentam de forma distinta, e também a medicina veterinária.

A própria medicina homeopática surgiu por Hanneman questionar os resultados que vinha observando em seus pacientes, que certamente eram medicados pela alopatia, como sua própria formação. Ou seja, necessitou-se haver a alopatia para o questionamento e o surgimento da homeopatia, embora Hipócrates já pensasse mais holisticamente na época. 
Edward Bach, fundador dos florais, também o fez através do estudo destas diversidades, que se demonstravam tanto nas reações de seus pacientes, quanto nas plantas para encontrar as 38 essências.

Respondendo então as perguntas iniciais, existem os cursos de terapias alternativas que podem qualificar mais holisticamente o tratamento do animal, inclusive desde a sua chegada à clínica, como por exemplo a musicoterapia ou aromaterapia que quando agregados no dia a dia permitem que o animal sinta-se menos estressado seja durante um atendimento ou internação.

Outras terapias colaboram para o restabelecimento global, atingindo a causa da doença. 

Mas também existem aspectos importantes que podem ser adicionados na conduta alopática, atitudes e cuidados muitas vezes já utilizados pelos clínicos mais antigos em experiência e formação, e que, devido a certa evolução e tendência da sociedade ao prático, juntamente à tecnologia farmacológica e certo individualismo do consumidor, acabaram por cair em desuso, perdendo-se no tempo e até transmitindo a impressão de uma visão/atuação antiquada pelos novos, inclusive pelos "co-pacientes" no caso da medicina veterinária, quando na verdade estas atitudes e condutas podem poupar muitas vezes a supermedicação, impedindo o desenvolver de outras doenças, aliviando o stress, tratando o emocional do animal, de uma forma até aparentemente simples, mas tão profunda em seu alcance.

O primordial para o real bem estar é pensar que nenhuma terapia substituirá a outra,  nenhum terapeuta tem o interesse de se apoderar do cargo indevido. Na medicina convencional, por exemplo, temos uma equipe multidisciplinar, onde vários profissionais complementam uma só atuação: a cura. Por quê não também formar-se uma equipe em relação à cura animal? Por quê não aperfeiçoar sua tão importante área como independente da medicina convencional humana? 

Às vezes parece-me que o avanço da medicina veterinária só caminha norteado pela medicina humana, até dando a impressão aos profissionais que se formam de que sua área é de menor importância já que seu foco de atuação são os animais...Por quê não modificar este paradigma?

Se cada profissional veterinário modificar seus valores, preconceitos e paradigmas, informar-se sobre cada processo terapêutico complementar entendendo sua importância, não mais do que a sua, mas tão influente quanto, permitindo a abertura em seu tratamento para o auxílio destas terapias visando um "todo" através de terapeutas competentes, sem preconceitualizar no acreditar que a adição destas seja porquê seu trabalho é "incompleto" devido à este auxílio, o que seria uma inverdade, já estaremos um passo à mais dentro de um prognóstico global e inteiro, considerando o holismo como a homeopatia já o faz.

Sendo assim, à partir de agora, iremos começar a trabalhar cada doença e seus aspectos no físico, para que o veterinário alopata possa compreender esta relação  da emoção x sintoma subliminar e descobrir como utilizar-se destes parâmetros no cotidiano da prática médica veterinária para amenizar estes aspectos, com ou sem o auxilio das terapias complementares que discorrerão na sequência paulatina, de  forma que possa adequar sua atuação à todos os aspectos que uma doença envolve, uma vez que, como já dito, holístico é uma postura, uma maneira mais abrangente de conceber e considerar a Vida, envolvendo todos seus aspectos, e não uma "especialização" na área.

Antes, um breve relato baseado em minha própria vivência para reflexão e parâmetro qualitativo frente às "condutas praxe" que são observadas inclusive conforme  a enquete que continua aberta sobre o pré e pós atendimento e que segundo resultados até então, pouco se tem sobre a relevância emocional e ambiental no fator cura.. Através dele podemos perceber já alguns aspectos que comentamos acima, e que na maioria das vezes são dispensados, talvez por falta de preparo ou esclarecimentos.

Na sequência, um texto para servir de uso diário. 

“Ele chegou transmitindo tranqüilidade e uma energia muito calma, até invejável, diante do sofrimento que a dona estava passando com a situação do animal”.

Sua postura logo de início favoreceu para que a proprietária se sentisse à vontade a relatar tudo o que estava acontecendo, inclusive as dúvidas, anseios sobre a situação, tirando a tensão do animal diante de um estranho na casa que traz consigo o faro de "invasores colegas"...

Sentou-se atenciosamente no sofá da residência, escutando tudo o que a proprietária relatava...

Ao mesmo tempo, observava como o ambiente lhe parecia, buscando dentro de si as sensações que lhe traziam, se de acolhimento, equilíbrio, se um local tranqüilo ou com barulhos externos, e foi assim, juntando material subjetivo e complementar, aproveitando para perceber como o dono do animal se expressava com os seus...

Ouviu atentamente a queixa,em seguida levantando-se para examinar o lindo e esguio gato siamês que lhe roçava ao pé enquanto prestava atenção à toda conversa inicial...

Dialogando com carinho ao animal, ia apalpando e acariciando, numa voz carinhosa, como se conversasse com um bebê ou seu próprio filho, fazendo todos os exames...

Ao final do exame,deu um tapinha carinhoso no lombo do gato e disse: Pronto...Já acabou.

Sentou-se novamente para expor ao proprietário o diagnóstico e fazer a prescrição.

Enquanto prescrevia a receita, ia alertando de forma confiante e ao mesmo tempo tranqüila e interessada, ao dono do animal, sobre a real importância do compromisso com os prazos e horários que deviam ser ministrados os remédios, sobre o efeito, e para quê se destinava.

Somando o diagnóstico à sua anterior exploração do ambiente, pôde também perceber que em frente ao local, havia uma construção, a qual deixava muito pó na janela justamente onde gatos costumam se prostrar ao sol...Aproveitou interessadamente para sugerir que fosse colocado um pano úmido, mesmo com a janela fechada, para evitar este tipo de inalação prejudicial não só ao animal quanto aos residentes do local...

Em sua prescrição, como o animal estava debilitado, pois provinha de uma adoção após abandono, e portando anêmico, cheio de vermes, buscou receitar juntamente com a ração especial,ingredientes naturais como papa de fígado(que colabora para o fortalecimento do sangue) com alho, (que colabora  para o combate verminoso), além de uma colherinha de mel a cada 4 horas, sempre observando a reação, já que o mel é energético e auxiliaria para a saída da prostração, juntamente com a alimentação.

Ainda assim, diante do estado, aconselhou somente desverminar quando o animal tivesse ganho um pouco mais de peso, já que encontrava-se bem desnutrido, podendo piorar com o efeito do vermífugo, uma vez que os próprios vermes mortos no organismo, juntando com a anemia, poderiam ser fatais como toxinas no gatinho...

Tomou seu café, oferecido pela dona do animal, finalizando o atendimento e despediu-se.
No dia seguinte, logo pela manhã, ligou para a proprietária com intenção de saber das melhoras do animal, colocando-se à disposição, sempre, inclusive pelo celular..."

Safih Quelbèrt

Você seria capaz de perceber algumas sutilezas que fazem a diferença?

Agora, um texto como sugestão para uso diário...

Eu Sou a Cura

Somente por hoje não irei me preocupar.

"Preocupar-se é esquecer que há um propósito divino universal em tudo o que acontece", foi o que aprendi e continuo a aprender. Não adianta lamentarmos o que passou ou nos preocuparmos com o que poderá vir. O passado foi criado conforme o que dispúnhamos então, e o futuro, criamo-lo neste momento. A cada passo dado com amor, benevolência e pureza de atitudes e pensamentos, só poderemos criar um futuro melhor. Tudo o que chega até nós e onde nós chegamos, nos traz algo de útil para a nossa caminhada.Pensando nesta frase vamos aprendendo a romper os laços com os conceitos pré-estabelecidos de dor e angústia. Devagar damos o tempo certo para cada pessoa e para cada situação que temos que enfrentar na vida. Rompemos com nossa ansiedade e respiramos em Paz.

Somente por hoje não sentirei raiva.

A irritação e a raiva desarmonizam e criam doenças no corpo. Seria de grande sabedoria aprendermos a transformar estas energias, lidando construtivamente com elas. Aqui, a meditação diária sobre esta frase, leva-nos a trabalhar as mágoas, os ressentimentos, as raivas e fúrias que se alojam em nós e que trazem tanto mal físico e espiritual. Abalamo-nos por tão pouco, quando estamos entregues aos desafios do ego e às disputas que ele nos impõe. Através deste preceito libertamo-nos da desconfiança e do medo e amamos incondicionalmente.

Somente por hoje farei meu trabalho honestamente.

Se trabalharmos, assim como tudo o resto, honestamente e com consciência, estaremos antes de mais a aumentar o nosso amor próprio. Sentimo-nos bem com a vida e o que nos rodeia, o que irradiará harmonia na nossa vida. Este preceito lembra-nos a necessidade urgente de sermos honestos conosco mesmos, antes de tudo, qualidade esta, tão esquecida pela humanidade e que provocou um distanciamento enorme, daquilo a que nossa alma se propõe fazer na vida, e que só pode ser lembrado quando olhamos com carinho e atenção para tudo que nosso coração pede. Desta forma, passamos a realizar nosso propósito na Terra.

Somente por hoje serei gentil com os que me cercam e todos os seres vivos.

"Mostrar amor e respeito por todos os seres é amar e respeitar a nós mesmos." Somos todos um só. Somos todos parte da mesma energia. Porquê maltratarmo-nos? Porquê atrair vibrações mais baixas sendo mesquinhos e julgando os outros? Respeitemos o próximo, respeitemos a nossa própria condição. O uso deste princípio na nossa vida trará indubitavelmente a harmonia até nós. Será a própria criação. Com esta afirmação podemo-nos remeter ao respeito pela vida e pela experiência de cada um. Trabalhamos a nossa pretensão e nosso orgulho e colocamo-nos no devido lugar de aprendizes da vida e filhos de Deus.

Somente por hoje eu darei graças por todas as minhas bênçãos.

Quando tomamos a atitude da gratidão, sentindo-nos agradecidos por tudo o que recebemos e aquilo que confiamos nos ser fornecido a todo o momento, atrai a abundância porque a aceitamos como parte integrante da nossa vida e de tudo o que nos envolve. Se no nosso inconsciente acreditamos que não merecemos os bens e a riqueza, estaremos a bloquear o fluxo da abundância.


Texto adaptado para este e-book, que podemos aplicar no dia a dia... Os 5 Princípios do Reiki  conforme os autores:

Sofia Morgado"(http://www.universodeluz.net/) 
e Victor Rodrigues (http://www.bioreiki.com/)


Agradecimentos ao Dr. Valdir - Show Pet, médico veterinário alopata, que cuida interessadamente dos meus animais, não só buscando aliviar a doença, mas principalmente equilibrando em sua postura, a alopatia com o relevância dos aspectos naturais e emocionais.

Imagem Kirlian da mão - http://www.phosphenisme.info/effet_kirlian.html

Se você ainda não votou em nossa enquete, clique aqui

Deixe ou leia os comentários -  não necessita fornecer dados

  Enviar página a um amigo!

Home     Página Anterior      Cadastro newsletter     Índice     Próxima página       

E-book: Veterinários no divã - ©2008 Veterinários no Divã  - Todos os direitos reservados 
Respeite os direitos autorais - cópia e reprodução proibidas
safihquelbert@veterinariosnodiva.com.br 

   Web Site Hit Counter